Categoria: viagens

O misterioso caso do taxista que lia “lebibô”

*Do enviado especial a Miami Sempre me orgulhei do meu portunhol vigoroso que, auxiliado pela mímica, torna-se padrequevedisticamente erudito. No entanto, fui testado por uma nova situação de limite linguístico e reprovado. Miami, 2014 (frequento Miami para fins profissionais, não me julguem). Taxista haitiano puxou conversa em inglês com um sotaque franco-dialetense haitiano. Tentei afundar […]

Náo chores por mim, Evita mala

Do enviado especial a Buenos Aires, Brazil Cheguei à Buenos Aires dando vexame. Ingenuamente fiz a seguinte pergunta pra tia das informaçóes no aeroporto: Donde puedo pegar el busón?.  O suicídio convinha depois disso, mas vou deixar pra quando voltar pro Circuito das Águas Paulistanas. Buenos Aires é, junto do Rio de Janeiro, a cidade […]

DE QUANDO PAREI DE BEBER

Do enviado ao sul da Bahia Beber com freqüência e quantidade de gente grande tem suas descompensações. Aliás, só tem descompensações. A primeira e mais óbvia é a financeira, e lembro de certa vez de ter escrito neste blogue de como bebi toda a grana que estava destinada a compra de um sofá que até […]

QUEM ME DERA TÁ SENDO UM PEIXE, PARA EM TEU LÍMPIDO AQUÁRIO TÁ MERGULHANDO…

Do enviado ao sul da Bahia Após sucessivos porres à beira da praia, de ouvir um tatuador ambulante chegar pra mim e dizer “E aí, my friend, duiuanti a tatu?” e de observar um cão pitbull enorme e manso alucinadamente a tentar copular com uma senhora muito gorda que tomava sol na areia, concluí que, […]

O PETRÓLEO É DELES

Do enviado a Miami, sem gravata amarela O cucaracha é, antes de tudo, um nababesco. Ao menos os cucarachas que desembarcam nesta grande Itanhaém dos novos ricos latinos que é Miami. Devo registrar que a maioria gosta de ostentar, mas não a maioria absoluta, o que é sempre um alento. Mas eu só quero falar […]

HAVA TEMAKI HAVA TEMAKI HAVA TEMAKI HEIA

Do enviado a Miami, sem gravata amarela A cena é insólita e pode ser vista à esquerda do meu carro (aluguei um, é mais barato que táxi). A estrada passa a milhas lentas e a paisagem é sempre a mesma. Foi quando avistei este restaurante à beira da pista com a frente negra e algumas […]

AS VEIAS FECHADAS DA AMÉRICA LATINA

Do enviado a Miami, sem gravata amarela Pois é. Quis o destino que eu, sempre tão esquerda Jack Daniels, sempre tão quase-revolucionário de botequim, fizesse minha primeira viagem internacional para Miami, paraíso dos aspirantes a Roberto Justus. Cabe-me a ventura de ter vindo a trabalho e não a passeio ou compras – aliás, muito menos […]