Categoria: alcoolismo

Dois causos interioranos sobre a Sexta-feira da Paixão

No interior até os anos 1970 era bem comum a existência dos circos mambembes. Aquele filme O Palhaço, do Selton Mello, relata a decadência desses circos com a ascensão da TV naquela época. Hoje os circos ainda resistem, mas aqueles ultra-precários nos quais o palhaço é também o mágico, o domador do leão raquítico e […]

Capítulo da existência intestina, ou “E esse ano que não acaba…”

Levanto rumo ao caixa do Violeta, boteco da Augusta, pra passar o cartão de débito. O aniversário da amiga foi ótimo, mas não poder beber me irrita. O dono do bar arrasta meu cartão na máquina suja de gordura, porém a linha telefônica não responde. Ele passa uma, duas, três, quatro, cinco vezes o cartão […]

A Rússia e a figura do machão

A Rússia é um país meio europeu meio asiático que é tão difícil de entender quanto de invadir. Napoleão e Hitler até tentaram um 4-2-4 avançado, daqueles de se mandar o Júnior Baiano pra área, mas não teve jeito. Atolaram na neve enquanto Moscou ficou lá, com seus líderes a entornar açudes de vodka ao […]

DE QUANDO PAREI DE BEBER

Do enviado ao sul da Bahia Beber com freqüência e quantidade de gente grande tem suas descompensações. Aliás, só tem descompensações. A primeira e mais óbvia é a financeira, e lembro de certa vez de ter escrito neste blogue de como bebi toda a grana que estava destinada a compra de um sofá que até […]

DA PRIMEIRA VEZ EM QUE FIQUEI BÊBADO

Eu ia dizer que lembro como se fosse ontem mas, como se não bastasse o clichê, é mentira. Fiz um esforço hercúleo para tirar da memória a primeira vez que fiquei bêbado. Localizada a sinapse, os fatos vieram à tona feito nhoque cozinhando na panela – a metáfora gastronômica surge porque é uma e meia […]

O CANTO DOS CISNES DA ADOLESCÊNCIA

Eu tinha 15 anos e era noite de Natal – e esse começo mais parece o início do conto da rena do nariz vermelho. Juro que não tem nada a ver. Prossigo: como de costume à época, meu pai pegava o fusquinha verde e se dirigia para as casas de alguns amigos para desejar boas […]

UM POST SÉRIO E OUTRO DA MAIS PURA FANFARRONICE

1) A sacanagem é roxa Hoje um sujeito entrou numa universidade dos States, deu uns tiros, matou meio mundo e amanhã você vai (felizmente) esquecer da crise aérea. A notícia ruim é que a catástrofe de hoje vai pautar os jornais até que um novo evento deste porte ocorra. Ossos do orifício. Lembro quando mataram […]

CAPÍTULO DAS FRUSTRAÇÕES

Falta um mês para o ano terminar e a minha vizinha de 70 anos provavelmente vai alugar meus ouvidos no elevador a dizer coisas como “Nossa, esse ano passou tão rápido…”. O fato é que dezembro sempre remete às mesmas coisas: a instituição do chatíssimo amigo secreto, onde você é obrigado a dar uma caixa […]

CONCERTO EM QUALQUER TOM PARA TRIÂNGULO E RÓI-RÓI

(não tem foto)O sinal mais evidente de que você faz parte da engrenagem da decadência da civilização é quando você marca um bar com uma amiga e logo a seguir esquece o local combinado. Não adianta parar e pensar, nem chacoalhar a cabeça para baixo como se tentasse tirar água do ouvido. O melhor a […]

VERÁS QUE UM FILHO TEU NÃO FOGE ÀS PINGAS

Voltei Foi ao observar vaquinhas coloridas pela Paulista que mais uma vez encontrei uma criança debaixo de meu pé direito e resolvi voltar a blogar. A vítima da vez era de ascendência japonesa e não tinha mais que sete primaveras, tendo desgarrado-se dos braços orientais da mãe apenas três passos antes de virar piche sob […]

Página 1 de 212