Categoria: adolescência

André

Ainda lembro do dia em que conheci o André. Tinha só cinco anos, mas juro que me lembro. Eu e minha mãe saímos pra rua e vi o loiro franzino pendurado na mureta da casa dele, de frente pra nossa. Me desvencilhei da minha mãe e corri até onde ele estava. Eu disse que me […]

Farsas que se repetem como histórias

Eu sempre tive uma relação com a música bem diferente da maioria das pessoas que conheço. Não melhor, nem pior, mas diferente. Enquanto as pessoas ouvem o que gostam enquanto fazem outras coisas — a tal “trilha sonora da vida” –, eu mantive por muitos e muitos anos o hábito de parar tudo para ouvir […]

A mão que lê a Nova é a mesma que caleja

É público e notório que a Revista Nova é voltada para aquela mulher que é tão chata que não consegue manter um namorado por muito tempo, tentando, assim, pegar aquelas dicas de como segurar o seu (dela) homem através da ninfomania desvairada. Da mesma forma, a Men´s Health, que só fala sobre como pegar garotas […]

Da primeira vez em que fui um covarde

Conheci muita gente que tivesse tomado porrada e nem todos os meus conhecidos tentam ser campeões em tudo, felizmente. Sempre tive dificuldades em reconhecer um “vencedor” porque, afinal, nunca entendi a vida como um jogo em que se ganha ou se perde em definitivo. Acho que por centenas de vezes já fui vencedor, já fui […]

PSICOLOGIA DE RESULTADOS

A única vez que estudei em colégio particular foi aos 15 anos, no primeiro colegial. E não foi uma experiência agradável. Entrei no primeiro dia de aula crente que, por vir de uma escola estadual para um dos colégios da elite da cidade, eu seria atrasado em relação aos demais e fatalmente sofreria um choque […]

SOBRE A IMPOTÊNCIA, NÃO A SEXUAL

Até um cachorro sabe que a gente sofre quando a gente vê alguém que a gente estima, e não estou preocupado em substituir os três “gente” desta frase. Aliás, os cachorros sabem muito bem disso, e vale uma historieta que não tem nada a ver com o que eu vou dizer até o fim deste […]

COSTELA, BUKOWSKI AOS 19

Ainda acho que o cérebro da gente tem umas gavetas ocultas que, de vez em quando, no momento em que os neurônios arregaçam as mangas para uma faxina de sinapses, deixam cair algumas lembranças que acabam estourando como gêiseres. Hoje passei na frente de uma marcenaria da Avenida São João enquanto cantarolava Born to Be […]

DA PRIMEIRA VEZ EM QUE FIQUEI BÊBADO

Eu ia dizer que lembro como se fosse ontem mas, como se não bastasse o clichê, é mentira. Fiz um esforço hercúleo para tirar da memória a primeira vez que fiquei bêbado. Localizada a sinapse, os fatos vieram à tona feito nhoque cozinhando na panela – a metáfora gastronômica surge porque é uma e meia […]

O CANTO DOS CISNES DA ADOLESCÊNCIA

Eu tinha 15 anos e era noite de Natal – e esse começo mais parece o início do conto da rena do nariz vermelho. Juro que não tem nada a ver. Prossigo: como de costume à época, meu pai pegava o fusquinha verde e se dirigia para as casas de alguns amigos para desejar boas […]