Arquivo de dezembro de 2010

a metamorfose do monstrinho libertino

A lagarta pantagruélica de pêlos nababescos chegou ao auge do empanturramento: fez-se súbito casulo gordo recolhido silencioso e monástico, na ressaca do bombástico contentamento. Submersa em sua gruta suspensa, digeriu sua fome antropofágica insidiosa, sua ânsia por interstícios profundos e calorosos, por pistões, obeliscos e empaladores impiedosos. Vizinhando o oco consequente, tateou o abismo com [...]