Arquivo de junho de 2010

Fé e razão – caminhos abertos

“Pois não me é dada a liberdade de conceber um Deus sem existência (isto é, um ser supremamente perfeito sem uma suprema perfeição), como me é dada a liberdade de imaginar um cavalo sem asas ou com asas” René Descartes, Meditações, 5